• Facebook
Ténis de praia animou a Póvoa de Varzim

Ténis de praia animou a Póvoa de Varzim

No passado fim-de-semana, após o sucesso que foi a III Taça AT Porto (1.000€), seguiram-se, também nas praias da Póvoa de Varzim, duas provas com o cunho ITF: II Marinha Beach Tennis Open (0€) e II Beach Tennis Open Cidade da Póvoa de Varzim (2.500€).

No II Marinha Beach Tennis Open, torneio sem prize-money, as duplas lusas estiveram em bom placo, sendo que Portugal esteve representado tanto na final de masculinos, como na de femininos.

Em femininos, a dupla lusa composta por Catarina Alexandrino (81ª ITF)/Manuela Cunha (57ª ITF), as duas tenistas nacionais melhor classificadas no ranking mundial da actualidade, alcançou a final e só cedeu perante as espanholas Natalia Colubi e Grimanesa Santana, pelos parciais de 6-4 e 6-1.

No quadro masculino do II Marinha Beach Tennis Open, Henrique Freitas (70º) e Pedro Maio (50º), os dois melhores portugueses da actualidade, fizeram valer o favoritismo e chegaram à final da competição. No entanto, os segundos cabeças-de-série, Pol Filella Martinez e Gerdard Rodriguez Querol impuseram-se e conseguiram superar a equipa da casa pelos parciais finais de 7-6(6) e 6-1.
 
 
II Beach Tennis Open Cidade da Póvoa de Varzim
Nesta prova ITF dotada de 2.500€, realizada a 2 e 3 de Junho, participaram muitas das melhores duplas nacionais e internacionais da modalidade, proporcionando um grande espectáculo de beach tennis nas praias da Póvoa de Varzim.

Com um quadro feminino bastante forte, a dupla lusa semifinalista do II Marinha Beach Tennis Open também chegou longe nesta competição, sendo eliminada nas meias-finais pelas melhores cotadas O. Farias/G. Santana, vindas de Espanha, por 6-3 e 6-2. Byakina/Nikoyan fizeram jus ao estatuto de primeiras cabeças-de-série e venceram o torneio.

Nos pares masculinos, a dupla Ringlstetter - Benjamin e Manuel -, superiorizou-se perante todos os adversários e conquistou o troféu. Na final, o par germânico até começou a perder, frente a Querol/Martinez, mas conseguiu a reviravolta.

Freitas/Maio foi a dupla lusa que chegou mais longe na competição, sendo arredada nas meias-finais pelos espanhóis que viriam a ser finalistas vencidos. Na variante de pares mistos, Manuela Cunha formou equipa com o alemão Alexander Bailer e, juntos, alcançaram a final, onde viriam a perder perante Byakina/Querol, primeiros cabeças-de-série da contenda.

No cômputo geral do evento, foram prestações muito positivas para os jogadores e jogadoras portugueses em prova, proporcionando bons encontros e momentos para mais tarde recordar. Parabéns a todos!